PRODUTOS

Avícolas
 Incubadora de ovos
 Acessórios

Ornitológicos
 Sopradora de sementes
 Incubadora de ovos
 Aquecimento / Enferm.
 Transporte ovo/filhotes
 Lavador elétrico
 Estúdio Fotográfico

Renovadores de ar
 Ambiental Twister
 Criadouro de Pássaros

Controladores
 Control. aquecimento
 Control. ventilação
 Control Temp. B-1


AGENDA CRIATIVA

  Criadores
  Profissionais
  Fornecedores

Artigos / Avicultura

:: Baterias para codornas

outros artigos

Dr. Márcio Infante Vieira


Aos 21 dias de idade, quando não mais necessitam de calor artificial, as codorninhas devem ser transferidas para as baterias de recria ou engorda, divididas em compartimentos com capacidade para abrigar 15 a 20 dessas aves, aí permanecendo por 30 dias, para que atinjam o peso indicado para o seu abate.

Podemos considerar como modelo padrão para formar as baterias, as medidas de 0,50m de comprimento por 0,20m de largura (ou fundo ), de 0,14m de altura e com um comedouro do tipo "calha", com a borda de 0,6m de altura, localizado na sua parte da frente.

Sua parede deve ser de ripas horizontais de madeira de 1,5cm, com um espaço de 2,5cm entre elas. O piso deve ser de tela de arame com malhas de 1cm. Suas outras paredes e teto devem ser de tábuas finas. Devem possuir, também, uma portinha na sua parte de cima.

Para formarmos uma bateria, basta juntarmos vários módulos, lado a lado, em número que pode variar de acordo com o desejo do criador. Como as baterias são, em geral, de vários andares, o normal é que sejam colocados lado a lado, 6 módulos, formando um andar ou gaveta, que é colocada em uma estante de madeira com bandejas coletoras de fezes e detritos caídos das gaiolas, formando-se assim uma bateria que pode ter 6, 7 ou 8 andares. Esse número é limitado pela altura das pessoas que vão tratar das aves, para que seja facilitado o seu trabalho.

Quando se tratar de fêmeas em postura, o piso das gaiolas deve ser maior, inclinado 5cm e projetando-se 8cm para a frente, formando o coletor de ovos que, naturalmente, deve ter uma borda levantada para evitar que os ovos, rolando, caiam ao chão. Esse coletor permite que os ovos rolem para a parte externa da gaiola, facilitando a sua coleta.

Para os machos, o piso não deve ser inclinado, mas horizontal e do mesmo tamanho da gaiola, pois não é necessário o coletor de ovos.

Para os reprodutores, tanto machos quanto fêmeas, as gaiolas devem ser individuais e com as laterais de tábua, para evitar brigas. Na parte da frente das gaiolas das fêmeas, deve haver uma dobradiça para que ela possa ser aberta para a colocação do macho para o acasalamento. Os sarrafos usados na construção das gaiolas são de 0,25m de largura.